A Gastroenterite não pode ser um padrão de verão

A gastroenterite é uma doença que pode acontecer em qualquer altura do ano, mas que ganha força durante o Verão, em especial devido às temperaturas mais elevadas e a práticas menos cuidadas relacionadas com a alimentação, ingestão de água e higiene das mãos.

Segundo a médica interna de Medicina Geral e Familiar, Luísa Maia, “a gastroenterite é uma inflamação do tubo digestivo (estômago e/ou intestino), de origem infeciosa, causada essencialmente pela ingestão de água ou alimentos contaminados, mas também pode ser transmitida de pessoa para pessoa, pela má higiene das mãos”.

Apesar de na maior parte dos casos serem causadas por vírus, também podem ser provocadas por bactérias, parasitas ou toxinas.

Quanto aos sintomas, as gastroenterites costumam estar associadas “a diarreia, a dor abdominal tipo cólica, a náuseas e vómitos. Pode também ocorrer febre e mal-estar. A diarreia e os vómitos persistentes, associados a uma ingestão inadequada de líquidos, podem levar à desidratação, com o aparecimento de boca seca, olhos encovados e diminuição da quantidade de urina”, sendo que estes sintomas podem durar entre 5 a 7 dias.

A base do tratamento é a hidratação e, regra geral, não há necessidade de consultar um médico. “Devem beber-se muitos líquidos, em pequenas quantidades, sem forçar. Se ocorrer vómito, o doente deverá aguardar pelo menos 30 minutos sem ingerir nada e depois iniciar a hidratação em pequenas quantidades. À medida que for tolerando, deve progredir na alimentação, evitando os molhos e os fritos. Nos bebés, a amamentação deve ser mantida.”

Durante os cinco a sete dias, em que os sintomas perduram, devem ser evitados refrescos, sumos com gás, café e os doces.

No entanto, em casos onde se verifique a existência de sangue ou muco nas fezes ou de dor abdominal muito intensa, o doente deverá procurar ajuda médica de imediato.

Apostar na higiene, em particular das mãos, é a melhor forma de evitar ‘apanhar’ uma gastroenterite. “Lavar bem as mãos, com água e sabão, antes de manusear alimentos e das refeições, e depois de utilizar a casa de banho, tratar do jardim ou brincar com animais”, são as principais recomendações deixadas pela Dra. Luísa Maia.

Consentimento de cookies